GISPROJETOS



fone:

(44) 8434-3940 oi
(44) 3662-1320 recado


Produtos:
Casa, loja, móveis planejados, edificação em geral, projeto prevenção de incêndio e pânico, paisagismo e design gráfico


linkedin: www.linkedin.com/in/gizellysakazaki

segunda-feira, 27 de julho de 2015

´Orange King´, Ixora – Ixora coccinea

R$ 10,00



Nome Científico: Ixora coccinea
Nomes Populares: Ixora, Icsória, Ixora-coral, Ixória
Família: Rubiaceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Cercas Vivas,Flores Perenes
Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
Origem: Indonésia, Malásia
Altura: 0.9 a 1.2 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene


A ixora é um arbusto muito apreciado nas regiões de clima quente. Seu aspecto é compacto e suas folhas têm uma textura de couro. A floração ocorre na primavera e verão, e apresenta inflorescências com numerosas flores de cor amarela, vermelha, laranja ou cor-de-rosa. Pode ser cultivada isoladamente ou em maciços, sendo ótimas para esconder muros e muretas. Atrai polinizadores.

Deve ser cultivada sempre a pleno sol, e não é muito exigente em fertilidade, sendo bastante rústica. Dispensa maiores manutenções, mas deve ser regada a intervalos regulares. Multiplica-se por estacas e não tolera geadas. (JARDINEIRO.NET, 2013)





Costela-de-adão – Monstera deliciosa

R$ 30,00



Nome Científico: Monstera deliciosa
Nomes Populares: Costela-de-adão, Abacaxi-do-reino, Banana-do-mato, Ceriman, Monstera
Família: Araceae
Categoria: Trepadeiras
Clima: Equatoria, Subtropical, Tropical
Origem: América do Norte, México
Altura: 6.0 a 9.0, 9.0 a 12 metros
Luminosidade: Meia Sombra
Ciclo de Vida: Perena


Suas folhas são espetaculares! Gigantes, elas possuem um desenho único. As bordas são perfeitamente recortadas e possuem furos no meio, como se quisessem arejar-se. Além disso, apresentam uma coloração verde escura e são muito brilhantes.

Deve ser cultivada em substrato rico em matéria orgânica, com regas regulares, à meia-sombra. Plantada isolada ou em pequenos grupos, pode ser tutorada para escalar sobre outras plantas e paredes. Produz frutos comestíveis. Multiplica-se por estaquia oriundas do caule. (JARDINEIRO.NET, 2015)

terça-feira, 21 de julho de 2015

Piteira-do-caribe – Agave angustifolia

R$ 12,00


Nome Científico: Agave angustifolia
Nomes Populares: Piteira-do-caribe, Agave, Agave-da-borda-amarela
Família: Agavaceae
Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Plantas Esculturais
Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical, Tropical
Origem: América Central, América do Norte, Antilhas
Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

A piteira-do-caribe é um planta escultural muito adaptada a seca. Suas folhas são longas, rígidas, em forma de espada, dispostas em roseta, com margens de coloração branco-creme ou amarelo e possuem espinhos nas margens e nas pontas. O tronco é curto e serve para a produção de Mezcal, nome genérico para os licores mexicanos, que incluem a conhecida tequila. A floração ocorre quando as plantas estão adultas e pode demorar mais de 10 para acontecer. A inflorescência é muito alta, chegando a 3 metros de altura e apresenta flores amarelas ou brancas.

No paisagismo, os maciços e canteiros de piteiras-do-caribe têm um belo efeito dramático em jardins amplos, mas as plantas isoladas ou em pequeno número também se encaixam perfeitamente em jardins de pedra e geométricos. É muito rústica e seus espinhos agressivos são capazes de manter cães e gatos afastados, no entanto eles podem ser removidos, caso estejam eventualmente machucando as pessoas. Devido a estes espinhos, normalmente não devemos plantar o agave ao longo de caminhos e passeios. Por seu pequeno porte em relação aos outros agaves, também pode ser plantado isolado em vasos.

Devem ser cultivadas sob sol pleno, em solos leves, bem drenáveis e enriquecidos com matéria orgânica. As regas devem ser poucas e esparsas, apenas quando o substrato secar. Adubações anuais, durante o período de crescimento são suficientes. Toleram condições de sombra parcial. Multiplicam-se por sementes e pela separação das mudinhas que se formam na inflorescência e na base da planta mãe. (JARDINEIRO.NET, 2014)

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Espada-de-são-jorge - Sansevieria trifasciata

R$ 8,00 à muda


Nome popular: Espada-de-são-jorge; Rabo-de-lagarto; Língua-de-sogra; Sanseviéria.
Nome científico: Sansevieria trifasciata var laurenttii.
Família: Liliaceae.
Origem: África.
A Espada-de-São-Jorge é uma planta com aspecto bem distinto das demais, sendo bastante utilizada em todo o mundo para ambientes internos e externos. Ela se destaca também por exigir pouca ou nenhuma manutenção e pela sua grande resistência.
A planta é herbácea formada por rizomas, perene, sem caule, de 70 a 90 cm de altura, com folhas espessas. São cultivadas diversas variedades de folhas com margens creme-amareladas curtas, e com manchas amareladas nas margens. Possui inflorescências longas, com flores brancas e pequenas, de importância ornamental secundária.

Cuidados: A espada-de-São-Jorge se desenvolve melhor quando plantada em locais à meia-sombra, mas toleram tanto o sol pleno quanto ambientes pouco iluminados. Apresenta boa resistência a solos áridos e ao calor tropical, bem como ao frio.
Pode ser cultivada em vasos ou em grupos, formando bordaduras ou mesmo para compor maciços.
Evite regas demasiadas, pois isso pode causar o apodrecimento da planta. Deixe a terra secar bem antes de regar novamente. Se for adubar, faça-o somente uma vez ao ano. Troque a planta de vaso assim que as raízes preencherem o vaso todo. (CUTIVANDO, 2015)

Dicas:
Com porte para grandes entradas
As duas variedades de espada-de-são-jorge, uma com folhas rajadas acinzentadas e a outra com margens amareladas, alternam-se no trio de vasos de concreto, da Vasos da Terra, cada um com 84 cm de altura. Em vasos altos, a espécie ganha mais porte e funciona como cerca viva, tanto que na foto é alternada por murta. Usa a espada-de-são-jorge em projetos contemporâneos, geralmente em locais que precisam de verde, mas têm limite de espaço, ou ainda em áreas que demandam pouca manutenção. Aqui, a planta foi eleita para contrastar com a parede de pedra cacão, que é um tipo de basalto. (REVISTA CASA E JARDIM, 2015)


R$ 8,00 à muda

Mini Espada São Jorge - Sansevieria Trifasciata
Sobre um aparador, uma mesa lateral ou um balcão, as espadinhas dão um toque verde sem brigar com a decoração. Os vasos de vidro, montados pela Anni Verdi, não têm furos para a drenagem. Receberam uma camada de carvão logo na base para absorver o excesso de água, manta de poliéster, terra e acabamento de pedrisco. A dica para não encharcar a planta é regá-la apenas uma vez por semana com uma xícara de café de água. Um vaso com 15 cm de diâmetro de boca, como o maior na foto, pode abrigar até três mudas da planta, que também funciona muito bem como forração. Nesse caso, a conta para o adensamento das mudas pode seguir a regra dada pelo paisagista Odilon Claro, de 70 a 80 mudas por m².(REVISTA CASA E JARDIM, 2015)

domingo, 19 de julho de 2015

Cica - Cycas revoluta

Muda grande- R$ 80,00
Muda pequena- R$ 25,00




Nome popular: Cica; Sagu; Palmeira-sagu; Sotetsu.
Nome científico: Cycas revoluta.
Família: Cycadaceae.
Origem: Japão e Indonésia.
Altura: 3.0 a 3.6 metros
Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

Cuidados: As cicas se desenvolvem melhor em locais bem iluminados, sendo recomendável o plantio em sol pleno. Em climas mais quentes ela pode ser plantada na meia-sombra. Podem ser plantadas tanto em climas quentes como em climas frios. Suportam bem o frio e condições secas e úmidas.
São geralmente pouco sensíveis à falta d'água. Devemos regá-las com mais freqüência nos períodos após o surgimento de novas folhas, mas evite deixar o solo encharcado.
As Cicas também não apreciam regas por aspersão nas folhas. O ideal é que se regue apenas a terra no entorno da planta e sempre se espere secar bem entre as regas, pois é uma planta de clima seco e muito sensível ao excesso de umidade. (JARDINEIRO.NET, 2015)